Adequação da experiência do usuário: diferenciação de gêneros

É importante projetar de maneira diferente para homens e mulheres? Os projetistas da experiência do usuário criam interfaces baseadas no gênero quando nós mesmos ignoramos nossos próprios pontos cegos e estereótipos. Campos de formulários relacionados ao gênero são apenas a ponta do iceberg; aplicar uma perspectiva de gênero na experiência do usuário vai muito além. Compreender as questões sociais complexas em torno da identidade e do gênero pode nos ajudar a criar experiências do usuário que refletem as diversas maneiras através das quais os indivíduos percebem a si mesmos.

O artigo completo está disponível somente em inglês.

Marsden, N. (2014). Adequação da experiência do usuário: diferenciação de gêneros. User Experience Magazine, 14(1).
Retrieved from http://uxpamagazine.org/doing-ux/?lang=pt

One Response

  1. Kat disse:

    Great article! It’s given me some interesting angles to think about on a Friday afternoon. 🙂

    Personally, I have huge issues with the ‘title’ selections – I always feel as though I’m being forced to label myself as married (‘Mrs’), unmarried (‘Miss’) or grumpy-feminist-who-won’t-be-labelled (‘Ms’), none of which I personally identify with.

    The genderficiation of things is increasing at an alarming rate, and can’t have anything but negative consequences for the self-esteem of future generations who are being forced to choose ‘pink’ or ‘blue’ and being sent clear messages that things are for ‘boys’ or for ‘girls’ and you can’t go outside of your gender group.