Design de animação: uma introdução à coreografia de experiência do usuário

A aplicação do design de animação de interface com o usuário na experiência do usuário tornou-se tão importante que adotou uma terminologia própria: coreografia de experiência do usuário. As interfaces digitais de sucesso usam design de interação de animação, transições baseadas em animação, microinterações e animação que apoiam a personalidade geral da marca. Uma equipe de design pode pensar em coreografia de experiência do usuário de três maneiras, com base nas funções que apresentam: material, espacial, funcional e prazerosa. Adicionar animação não é difícil se você aplicá-la à interface por partes.

O artigo completo está disponível somente em inglês.

Brundrett, A. (2016). Design de animação: uma introdução à coreografia de experiência do usuário. User Experience Magazine, 16(4).
Retrieved from http://uxpamagazine.org/motion-design/?lang=pt

One Response

  1. Reed disse:

    Thank you for sharing this piece, nicely done! Our brains and our eyes on a biological level are designed to detect objects in motion with extreme sensitivity. This dates back to our early existence as it helped us identify predators who may be looming. Motion is a very strong stimulus so it can be very distracting if the area of motion isn’t necessarily the area where you want your user to focus. I see motion as a good addition to more simple pieces of design for that reason. Weather apps, home pages, tutorials are all places without too much information to consume. In applications such as e-commerce browsing features, database filtering and other information dense elements I see motion design as more of a distraction than an addition to the user experience.